quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

Bancada do PMDB no Senado não quer que Renan lidere partido por causa de processos

Bancada do PMDB no Senado não quer que Renan lidere partido por causa de processos

O senador Renan Calheiros (PMDB-AL) é forte candidato a ocupar a liderança do partido na Casa, mas sofre resistência dos próprios colegas por causa dos processos na Justiça e dos inquéritos da Lava Jato. Renan deverá deixar a presidência do Senado em fevereiro. Senadores ouvidos pelo G1 explicaram  que o fato de ele ser investigado pode desestabilizar e constranger o partido. "Do ponto de vista legal é um absoluto constrangimento. Eu não sou inimigo do Renan, sou amigo dele, mas é um problema", afirmou o senador Roberto Requião (PMDB-PR). Outro peemedebista, que preferiu não se identificar, disse que não existe consenso na bancada. "A restrição a Renan decorre do fato de ele ser réu no Supremo. Fora isso, Renan reúne todas as qualidades. É articulado e tem experiência. Mas há uma interrogação em relação ao futuro dele e isso está prevalecendo", justificou. Apesar disso, uma parte da bancada peemedebista defende o nome de Renan para a liderança do partido. "Se ele for o líder, é excelente. Não tem nome melhor do que o de Renan. É um peemedebista preocupado com o partido e é o melhor para unir a bancada", avaliou João Alberto (PMDB-MA). A assessoria de Renan não  comentou o assunto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário